quarta-feira, 23 de março de 2011

MORRE ELIZABETH TAYLOR...




 
Elizabeth Taylor nasceu em Londres no período em que seus pais, americanos, eram responsáveis por uma Galeria de Arte naquela cidade.  Em 1939, pouco antes do início da 2ª Guerra Mundial, seus pais retornaram aos EUA onde se estabeleceram em Los Angeles.

Sua beleza logo chamou a atenção dos caçadores de talento.  Ao se submeter a um teste nos Estúdios da Universal Pictures, os executivos da Empresa ficaram impressionados com ela e a contrataram, de modo que, com apenas 10 anos de idade, estreou no cinema com o filme "There's One Born Every Minute".

No ano seguinte, 1943, contratada da MGM, Liz iniciou sua escalada para o sucesso com o filme "A Força do Coração".  Embora com uma longa filmografia, seu período áureo estendeu-se de 1951 a 1968, tendo sido a primeira atriz a ganhar US$ 1 milhão pela atuação num filme.  Tal fato ocorreu quando da realização de "Cleópatra", em 1963.  Durante esse período, foi agraciada com 2 Oscars de Melhor Atriz por suas atuações em "Disque Butterfield 8", de 1960, e "Quem Tem Medo de Virginia Woolf ?", de 1966, sendo ainda indicada ao mesmo prêmio da Academia por seus trabalhos em "A Árvore da Vida", de 1957, "Gata em Teto de Zinco Quente", de 1958 e "De Repente No Último Verão", de 1959.

Conhecida internacionalmente por sua beleza, especialmente por seus olhos violetas, foi desejada por muitos homens, tendo sido casada com Conrad Hilton Jr., herdeiro de uma famosa cadeia de hotéis (06/05/1950 à 01/02/1951), Michael Wilding, ator (21/02/1952 à 30/01/1957), Michael Todd, produtor (02/02/1957 à 22/03/1958), Eddie Fisher, ator (12/05/1959 à 06/03/1964), Richard Burton, ator (15/03/1964 à 26/06/1974 e 10/10/1975 à 01/08/1976), John Warner, senador (04/12/1976 à 07/11/1982) e Larry Fortensky, construtor (06/10/1991 à 31/10/1996), de quem se encontra divorciada.

Na década de 70, tornou-se viciada em drogas, fazendo filmes ocasionalmente.  Ao terminar seu casamento com o senador Warner, internou-se na Betty Ford Clinic, em mais uma tentativa de se curar de seus vícios.  Foi durante esse período de recuperação, que conheceu Larry Fortensky, com quem se casaria mais tarde.

Em 1985, com a morte de seu grande amigo, o ator homossexual Rock Hudson, Elizabeth Taylor iniciou uma cruzada em favor dos portadores de Aids.

Fonte: www.65anosdecinema.pro.br/biografias

3 comentários:

Marcela disse...

OI Francy, descupe não ter respondido antes.
Com relaçaõ ao livro nao se preocupe, eu também não mandei nao tinha mandadoo endereço pra vc, depois me passa o seu email q te passo meu endereço.
BJos!

Maria Alice disse...

Francy achei para vc.

Cuarar a roupa' ou 'Quarar a roupa'?
A segunda forma é a correta. “Quarar”, segundo o dicionário “Houaiss”, é um regionalismo usado no Brasil que tem o mesmo significado de “corar” (clarear a roupa pela exposição à luz do sol). “Corar” também significa “dar cor”, “pegar cor”, “enrubescer” e até “acanhar-se”, entre outros.

Anelise disse...

Oi com muito carinho pra vcs.... eu sempre admirei Liz Taylor sempre.... me emocionei com Cleopatra onde ela está belíssima... e outros filmes... comprei a biografia dela em livro muitos anos atrás o qual ela relatava muitas coisas; ela soube viver, sofrer e amar(parece o filme aquele da Julia Roberts rs) que ela tenha um lugar digno no outro plano e que seja acolhida pelos nosso amigos espirituais do bem... Deixo aqui o meu pesar pela sua partida mas sei que a vida continua... bjus

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...